BEM VINDOS

Muitas vezes não conseguimos compartilhar com as pessoas que nos são caras, todas coisas que vemos,
sentimos ou recebemos.São pedaços de vida e sentimentos recolhidos aqui e ali.
Este Blog não tem outras pretensões, senão partilhar textos, mensagens, músicas e poemas com quem acessá-lo.
São meus, são seus e de todos dispostos a partilhá-los.Sinta-se à vontade se quiser comentar, a casa é sua.
Luz e Paz Profunda! Eliana Maria

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

quarta-feira, setembro 24, 2008

Comercial com Gabriel Sater

Estou postando o vídeo do comercial dos Fertilizantes Serrana, segmento da empresa Bunge, protagonizado pelo compositor, violonista e agora garoto-propaganda ;) Gabriel Sater! Espero que gostem!

O vídeo está disponível também em:
http://www.youtube.com/watch?v=hgA1CKcpXqc e
http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs.aspx?cmm=1529231&tid=5249611098565158610&start=1





Um beijo

Aninha ;***

terça-feira, setembro 23, 2008

GABRIEL SATER: A SEGUNDA E TÃO ESPERADA PARTE DA ENTREVISTA OFICIAL DO VIOLONISTA AO NOSSO BLOG!


Atenção, galera! Tá na área a segunda parte da entrevista oficial e exclusiva do violonista Gabriel Sater aos seus fãs internautas! E essa seqüência vem cheia de novidades e curiosidades, como o prometido...A foto ilustrativa é do show do músico realizado em agosto de 2008, na cidade de Campo Grande, em comemoração à inaguração do site "Portal do Artista".

...Vamos ao que interessa??? Boa leitura! :D


- Gabriel, conte-nos qual foi um grande momento marcante de sua vida...
"Quando abri a caixa do meu primeiro CD. Meu show de lançamento do 1° CD em Campo Grande em 2006 . Assim como o primeiro show solo da minha carreira e o primeiro com toda família no palco."
- Um grande amor: "Família, música, Pantanal."

-
Uma grande música:
“Anima” do Milton Nascimento e Zé Renato, “Minuano” do Pat Metheny, “Tocando em Frente” do Renato Teixeira e Almir Sater, “Bolero de Vicente” do Vicente Amigo, “Rico” do Cristiano Kotlinski e “Eu te amo” do Chico Buarque e Tom Jobim.

-
Uma característica marcante sua: "Ser um amigo de verdade."

-
Esportes:
"Artes Marciais Mistas (MMA), PBR (rodeio) e Tênis."

-
Time de futebol: "São Paulo."

-
Uma frase:

“Tenha sempre bons pensamentos porque os seus pensamentos se transformam em suas palavras. Tenha boas palavras porque as suas palavras se transformam em suas ações. Tenha boas ações porque as suas ações se transformam em seus hábitos. Tenha bons hábitos porque os seus hábitos se transformam em seus valores. Tenha bons valores porque os seus valores se transformam no seu próprio destino.” (Mahatma Gandhi)

-
Qual a melhor memória da sua infância?
"Olha tenho duas avós que sempre me agradaram muito durante minha infância. Sempre amei doce. Minha avó Domici fez um bolo de aniversário de 8 anos que tenho saudade ate hoje!! Nunca esqueci aquele bolo de morango (risos).
Mais a imagem mais que mais me marcou foi de uma geladeira da minha avó Nair, pois estava inteira de torta de morango, aquilo para uma criança gulosa com eu, parecia o paraíso. Inteirinha de tortinha, que é meu doce predileto."
(risos)

-
Quando foi que você teve a certeza de que queria seguir a carreira de músico?
"Foi no ano 2000, quando eu comecei a matar aula (curso pré-vestibular) e ir pra uma sala vazia ao lado para estudar violão durante toda manhã!! Minha mãe sempre perguntava o porquê do violão nas aulas e eu falava que era pra tocar no intervalo. (risos) Desde o começo do ano estava certo que queria ser músico profissional; foi quando eu conheci meu professor Cristiano Kotlinksi que me ensinou tudo do zero; foi uma época difícil onde tive muita sorte de ter encontrado um mestre que sempre esteve ao meu lado ajudando, assim meu pai e minha família. Já vi professores acabarem com sonhos de seus alunos, por isso me sinto um cara de sorte."

-
Como tem sido a abordagem dos fãs na rua? Muita gente aparece pedindo autógrafos fora dos shows?

"Graças a Deus, esse carinho dos fãs tem melhorado a cada dia, a cada show. Encaro isso como o reconhecimento por um trabalho bem feito. Na minha cidade (Campo Grande – MS) muitas pessoas me reconhecem e são muito carinhosas. Fico feliz demais com tudo que vem acontecendo a cada ano. Me dedico de verdade para sempre emocionar estas pessoas. Também só tenho a agradecer o carinho e atenção que recebo através de e-mails, mensagens e depoimentos na internet. Sinto-me enormemente gratificado pelas pessoas que dedicam um tempinho do seu dia em meu favor, como os donos dos blogs, moderadores de comunidades e perfil no Orkut e os que divulgam meu trabalho. Quero mandar um beijo pra todos eles."

-
Você tem a vontade de participar de novelas, realmente?
"Sim, tenho muita vontade de participar de alguma novela ou algo do gênero. Sou cinéfilo e também amo tv. Melhor ainda se, em algum papel pudesse mostrar meu lado musical. Agora estou focado nos meus próximos CDs e projetos, mais tudo depende de cada situação. Adoraria ter este tipo de experiência."

-
Se você não fosse violonista e cantor, que outra carreira teria em vista?
"Sinto-me realizado de poder trabalhar com música. Não é uma profissão fácil, mas não me vejo fazendo algo que não esteja relacionado com isso. Se não fosse músico, buscaria estudar e trabalhar com matérias afins, na cultura, como cinema por exemplo."

...Por hoje, fico por aqui! Mas logo poderemos contar com o finalzinho dessa entrevista que já está bombando em todo canto! Obrigada, Gabriel Sater, pela dedicação para conosco e também pela música de altíssima qualidade com que nos presenteia todo show!!!

Espero que tenham gostado e possam aguardar ansiosos pela terceira parte de perguntas e respostas com esse talentoso violonista brasileiro em ascenção! Sucesso sempre! \o/


Abraços e uma ótima semana a todos!
Aninha
;***


segunda-feira, setembro 22, 2008

A LISTA - Oswaldo Montenegro

Faça uma lista de grandes amigos
Quem você mais via há dez anos atrás
Quantos você ainda vê todo dia
Quantos você já não encontra mais
Faça uma lista dos sonhos que tinha
Quantos você já desistiu de sonhar!
Quantos amores jurados pra sempre
Quantos você conseguiu preservar
Onde você ainda se reconhece
Na foto passada ou no espelho de agora
Hoje é do jeito que achou que seria?
Quantos amigos você jogou fora
Quantos mistérios que você sondava
Quantos você conseguiu entender
Quantos segredos que você guardava
Hoje são bobos ninguém quer saber
Quantas mentiras você condenava
Quantas você teve que cometer
Quantos defeitos sanados com o tempo
Eram o melhor que havia em você
Quantas canções que você não cantava
Hoje assobia pra sobreviver
Quantas pessoas que você amava
Hoje acredita que amam você
Faça uma lista de grandes amigos
Quem você mais via há dez anos atrás
Quantos você ainda vê todo dia
Quantos você já não encontra mais
Quantos segredos que você guardava
Hoje são bobos ninguém quer saber
Quantas pessoas que você amava
Hoje acredita que amam você

quinta-feira, setembro 18, 2008

A Verdadeira história da Águia


A emoção de voar começa com o medo de cair.
A águia empurrou gentilmente os filhos para a beira do ninho.
Seu coração trepidava com emoções conflitantes enquanto sentia a resistência deles.
"Porque será que a emoção de voar precisa começar com o medo de cair?"... Pensou...
Essa pergunta eterna ainda estava sem resposta para ela.
Como na tradição da espécie, seu ninho localizava-se no alto de uma saliência num rochedo escarpado.
Abaixo havia somente o ar para suportar as asas de cada um de sues filhotes.
"Será possível que, dessa vez, não dará certo?", pensou.
A despeito de seus medos, a águia sabia que era tempo.
Sua missão materna estava praticamente terminada. Restava uma última tarefa: o Empurrão.
A águia reuniu coragem através de uma sabedoria milenar e inata.
Enquanto seus filhos não descobrissem suas asas, não haveria objetivos em suas vidas.
Enquanto não aprendessem a voar, não compreenderiam o privilégio de terem nascido águias.
O empurrão era o maior presente que a águia-mãe tinha para lhes dar. Era seu supremo ato de amor.
E por isso, um a um, ela os empurrou, e eles voaram...

terça-feira, setembro 16, 2008

terça-feira, setembro 09, 2008

OFICIAL E EXCLUSIVA: ENTREVISTA COM O VIOLONISTA GABRIEL SATER!


Se bem nos lembramos, há algumas postagens atrás falamos de música...da boa música de Gabriel Sater. Hoje é muito bom poder dizer que temos mais novidades a respeito desse grande violonista: é uma honra para nós desse blog e também do blog da Loira do Bem, podermos postar, aqui, lá e também nas comunidades relativas ao músico, uma entrevista exclusiva e oficial concedida aos fãs e amigos internautas! Na entrevista, que será publicada em várias partes, Gabriel nos fala a respeito de sua carreira, de planos para o futuro e também de assuntos corriqueiros como seus gostos pessoais e idéias sobre a vida cotidiana, respondendo a dúvidas de fãs desse Brasil afora, por onde já se apresentou. Curiosos? Juntem-se a nós e mergulhem nas idéias de Gabriel Sater, na parte I de nossa entrevista...

- Gabriel Sater esteve recentemente em turnê pela Europa, depois de tocar por várias regiões brasileiras, divulgando seu trabalho rico em composições suas e também de outros profissionais. Ao ser perguntado sobre sua experiência lá fora e também sobre quais seriam as diferenças mais marcantes entre os públicos de lá e de cá, eis a resposta: “Sempre foi um sonho tocar na Europa. Devo esta realização a minha nova produtora: Bravo Expedições, que em parceria com a GAS Produções, tem cada vez mais me surpreendido por sua competência e dedicação.
Pessoalmente, sinto uma maior diferença em tocar para o público dentro do meu estado natal e para os de fora dele. Digo isso porque a música sul-matogrossense tem uma fórmula muito especial, que cativa muito as pessoas de outros estados e países pela sua singularidade dentro da MPB. A música do Mato Grosso do Sul soa muito natural para quem foi criado ou tem raízes lá, mas para os demais ela é uma música totalmente inusitada, autêntica, diferente de tudo, e posso perceber isso na reação de admiração do público.”

– As composições deste violonista são caracterizadas por um estilo próprio e inusitado, que mostra uma marca pessoal que admira a crítica. Ao compor, onde você busca inspiração, Gabriel?
“Neste tempo em que vivemos, procuro permanecer sensível a tudo que acontece todos os dias ao meu redor. Dou muito valor às coisas simples da vida, como um lindo amanhecer, ler um livro, ver um filme, jantar com a família e amigos. Adoro as tempestades de janeiro na fazenda. Confesso que ficar tocando naquelas noites chuvosas com raios luminosos é algo que sempre me ajuda na busca interior por novas melodias. Muitas vezes surgem músicas que, são criadas inteiramente naquele momento; o que chamo de: “momentos mágicos”. Em contrapartida, ao apenas se esperar uma inspiração, dias podem passar sem nada acontecer, por isso acredito que estar em contato com o instrumento diariamente é essencial para minha forma de compor e arranjar.”

– Gabriel Sater já teve a oportunidade de compartilhar o palco com muitos outros músicos e amigos de sua região e também de locais e estilos bem diferentes. Será que há algum artista com quem deseja muito tocar, em especial? Ele nos revela...
“Uma das coisas que mais gosto na minha profissão é conhecer novos músicos e estilos, poder aprender com tantas pessoas. Tocar com artistas que você particularmente admira é algo maravilhoso. Agradeço por ter conhecido e tocado com estes músicos que sempre me inspiraram, cada um da sua maneira. Tem tanta gente boa que é difícil falar todos, mas quero poder tocar com muita gente ainda, Deus me ajude, pois quem ganha é a música.”

– A maioria dos instrumentistas e cantores têm técnicas, hábitos e até mesmo superstições para permanecerem concentrados e em perfeita sintonia consigo mesmos no momento de iniciar uma apresentação. Sobre isso, Gabriel nos fala que gosta de realmente se preparar para cada show, sempre com muito amor e respeito ao público. Para isso, dedica-se muito para evoluir e se apresentar cada vez melhor. E acrescenta: “Procuro gravar todas as apresentações para posteriormente analisar tudo o que pode ser melhorado. Ninguém é perfeito, por isso precisamos realçar nossas qualidades e buscar aperfeiçoamento nas nossas dificuldades.
Cada músico tem sua forma de se concentrar. Eu procuro descansar bem antes de cada e evento, ensaiar muito com a banda. Aquecer bem a voz e os dedos sempre ajuda bastante. Muita água o dia inteiro. Nunca tomo nada gelado ou leite antes de cantar. Queria deixar claro, que esta é a minha forma, pois cada músico sabe como melhor se preparar.”


– Sua cor predileta? “Azul”.

– Um bicho? “Meu cachorro Torito”.

- Um grande cantor(a) e/ou compositor(a)?
“Pat Metheny, Milton Nascimento, Almir Sater, Vicente Amigo, Gilberto Gil, Richard Bona, Tom Jobim, Cristiano Kotlinski, Fernando D’andrea, Chico Buarque, Paulo Simões, Joe Zawinul, Paco De Lucia, Família Espíndola, Gonzalo Rubalcaba, Juanjo Dominguez, Mercedes Soza, Astor Piazzolla, Yamandú Costa, Bob Macferrin, John Maclaughin, Pedro Aznar, Djavan, Giselle Sater, João Bosco, Maria Bethania, Hamilton de Hollanda, Elis Regina, Paranga, Guilherme Rondon. Tem muita gente boa, por isso sei que estou esquecendo alguém!” (risos).

– As influências para o trabalho de Gabriel são das mais variadas. Mas e fora do ambiente de trabalho, quando não está necessariamente buscando influências, o que você gosta de escutar, Gabriel?
“Escuto de tudo mesmo, sou muito eclético. Adoro MPB. Estou sempre em busca de novidades. Hoje, por exemplo, escutei Maria Rita, Roberta Sá, Diane Krall, John Mayer, John Pizzarelli, Spok Frevo, Banda Mantiqueira, James Taylor, Elpídio dos Santos. Cada dia eu acordo com vontade de escutar algo diferente, isso acaba refletindo na hora de tocar. Adoro aprender sobre cada novidade, cada estilo.”

– Quando questionado sobre fatos ou acontecimentos que geralmente tiram sua paciência e o deixam irritado, o violonista acaba por nos mostrar, também, sua visão política da atual situação em que se encontra de seu estado: “Procuro ao máximo não me irritar, mas não é fácil. Injustiças de um modo generalizado, falsidades freqüentes, pessoas corruptas que tiram o pão de tantas famílias. Sou muito otimista, mas tem dias que leio o jornal e não me faz bem.
Também fico chateado com a desvalorização dos artistas no meu Estado, mas quero deixar claro que sou grande admirador do trabalho do nosso governador, e que minha queixa é especificamente direcionada a parte relacionada à Cultura, que acaba valorizando muito mais os artistas de fora do estado e preterindo os artistas locais que com tanta dificuldade carregam a bandeira da cultura sul-matogrossense. Sou fã de Minas Gerais, Bahia e Rio Grande do Sul, pois eles têm esta política de valorização de seus artistas no coração. Esta nova gestão não manteve o nível de incentivo à cultura que vinha fazendo no passado, e prova disso são os comentários e queixas de grandes músicos e amigos que conheço e amam este lugar.”
– OK, Gabriel. Está dado o recado!

– Mas e algo que realmente o deixa feliz? Veja o que ele nos diz:
“Um dia produtivo com novas idéias. Chegar de um dia de gravação no estúdio e ouvir o trabalho realizado, ou mesmo um bom show. As amizades verdadeiras e o apoio das pessoas que amamos. O carinho que venho recebendo de fãs e admiradores do meu trabalho nestes últimos anos. Tudo isso é sempre muito gratificante e inspirador, me faz seguir adiante com perseverança.”

...Gostos pessoais, grandes amores, seu time de futebol, sua relação com os fãs, a certeza ao decidir sua carreira como músico e até mesmo suas melhores lembranças da infância, vocês conferem na segunda parte de nossa entrevista a ser postada muito em breve!!! Aguardem! ;D

Espero que tenham gostado, por hora! Uma ótima semana a todos, repleta de luz, tranquilidade e música boa!

Um beijo!
Aninha ;***