BEM VINDOS

Muitas vezes não conseguimos compartilhar com as pessoas que nos são caras, todas coisas que vemos,
sentimos ou recebemos.São pedaços de vida e sentimentos recolhidos aqui e ali.
Este Blog não tem outras pretensões, senão partilhar textos, mensagens, músicas e poemas com quem acessá-lo.
São meus, são seus e de todos dispostos a partilhá-los.Sinta-se à vontade se quiser comentar, a casa é sua.
Luz e Paz Profunda! Eliana Maria

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

quarta-feira, março 31, 2010

segunda-feira, março 15, 2010

A um passo do Socialismo? ou da Venezuela?

Ophir cria Comissão para projetos dos superpoderes tributários do Executivo

O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Ophir Cavalcante, criou hoje (12) Comissão Especial para acompanhar os projetos do governo federal (PLs 5080, 5081 e 5082, de 2009, e PLC 469/2009), que criam um sistema de execução fiscal e tributária operado exclusivamente pelo Poder Executivo, que passaria a ter superpoderes nessa área, sem se submeter a qualquer apreciação do Poder Judiciário. A comissão será presidida pela secretária-geral adjunta do Conselho Federal da OAB, Márcia Machado Melaré,
e integrada pelos advogados Antonio Carlos Rodrigues do Amaral, Fernando Facury Scaff, Hércules Saraiva do Amaral, Luiz Cláudio Silva Allemand e Ulisses César Martins de Souza - sendo os três últimos conselheiros federais da OAB.
Os projetos do governo que serão alvo de acompanhamento da Comissão Especial foram apresentados na última terça-feira (09) pelo chefe da Advocacia Geral da União (AGU), Luis Inácio Adams, ao Conselho Federal da OAB, ocasião em que receberam muitas críticas e manifestações contrárias. Na avaliação de conselheiros, as propostas dão poderes demasiados ao Fisco, diminuem substancialmente as competências do Judiciário e violam direitos constitucionais. Além de tecer duras críticas e ressalvas aos projetos em seu voto - entre as quais, de que permitem ao Estado poder de fazer justiça com as próprias mãos -, a secretária-geral adjunta Márcia Melaré, designada relatora das propostas no Conselho Federal da OAB, sugeriu também que fosse criada a Comissão Especial para seu acompanhamento e avaliação
.


Fonte: Notícias OAB em 15/03/2010

sexta-feira, março 12, 2010

QUEM DÁ MAIS?

QUEM DÁ MAIS?

Li uma frase ótima de Albert Einstein:
"A energia atômica mudou tudo, exceto nossa forma de pensar... a solução para esse problema está
dentro do coração do homem. Se eu soubesse disso antes, teria me tornado relojoeiro."

Refletindo sobre a frase me lembrei que nos anos 80 Michael Jackson liderou uma campanha memorável chamada "We Are The World", para combater a fome na África. Quem não se lembra? A principal peça da campanha era a música homônima, gravada por dezenas de astros da música e registrada num vídeoclipe antológico. O disco com a canção vendeu até hoje mais de 20 milhões de cópias e levantou cerca de 63 milhões de dólares em fundos. Foi uma ação muito bonita, comovente até, mostrando como os formadores de opinião podem - a um custo pessoal muito baixo - ajudar a mudar a realidade.

Comprei recentemente o DVD comemorativo dos 25 anos daquela gravação. Uma delícia. Nos extras, um documentário acompanha alguns artistas numa visita a um campo de refugiados na África, durante a entrega dos alimentos. O cenário é desolador, as imagens fortes e o alívio da chegada dos alimentos, emocionante. Foi quase uma mobilização de guerra.

Lá pelas tantas, desolado, o músico Harry Belafonte faz uma declaração impactante. Ele diz sentir-se impotente diante da certeza de que o dinheiro levantado jamais chegaria até os necessitados. Não havia caminhões, estradas, gente nem estrutura para distribuir as doações. Além disso, brigas políticas e bandidos desviavam o pouco que chegava. Para ele, todo o esforço tinha pouco ou nenhum resultado.

Os bem intencionados artistas não contavam com os problemas de logística. Para eles, o importante era levantar dinheiro e alimentos. Também não contavam com a engenhosidade do homem para roubar, enganar, oprimir e mentir.
E os africanos continuam morrendo de fome.

Essa história levanta uma lebre interessante: o problema do mundo não é falta de alimentos. Nem falta de dinheiro. Nem é logístico. A recente tragédia do Haiti mostrou como podemos nos mobilizar para ajudar os necessitados em qualquer parte do planeta. No Haiti não faltam dinheiro, nem gente e nem alimentos. Nem mesmo estrutura. O problema é outro.

Como está implícito na frase de Albert Einstein, o gênio humano é fascinante. A tecnologia que ele cria é capaz de mobilizar o mundo, de curar doenças, de ampliar a produção de alimentos, de baratear a energia, de conectar as pessoas, de quebrar um átomo. Mas esse gênio não tem moral. Está a serviço da construção e da destruição, com a mesma facilidade.

Mas cabe aqui um pedido: por favor, resista à tentação de me escrever com aquela lengalenga anticapitalista, o discurso raso que coloca a culpa desse "monetarismo", no "capital" e por tabela nos Estados Unidos, o grande monstro adorador de dinheiro e devorador de almas.

Se você ainda não percebeu, assim como o gênio capitalista, o carnavalesco e o futebolista, o gênio comunista, o socialista, o gramcista, o castrista e o petista também se entrega a quem pagar mais.
O gênio humano não tem ideologia. Entrega-se a quem pagar melhor.


Luciano Pires

http://www.lucianopires.com.br/idealbb/view.asp?topicID=13006&pageNo=1&num=20
ISCAS INTELECTUAIS
As Iscas Intelectuais, publicadas em
http://www.lucianopires.com.br, são o "fitness intelectual" que vai ajudar a manter sua mente em forma.

sexta-feira, março 05, 2010

Diga ao povo que "Fico"

Sexta-feira, Março 05, 2010

Lula afirma que pode ajudar mais a Dilma ficando na Presidência.
"Achar que eu me afastando posso ajudar mais um candidato do que estando na Presidência seria diminuir o mandato. Se fosse assim, quem não tivesse mandato teria mais força política do que eu que tenho."
Esta é a declaração de Lula. Clara. Límpida. Direta.
No fígado. Ele tem a força. A chave do cofre. O poder de pressão.
Enfim, a faca e o queijo na mão.
A faca para botar no peito de quem bem entender, o queijo para
alimentar os ratos que o cercam.
Postado no Blog COTURNO NOTURNO
http://coturnonoturno.blogspot.com/
do CORONEL

quinta-feira, março 04, 2010

MULTIPLICAR, DIVIDINDO.


Multiplicar,dividindo.


É impossível levar o pobre à prosperidade através de legislações
que punem os ricos pela prosperidade.
Para cada pessoa que recebe sem trabalhar, outra pessoa deve trabalhar sem receber.
O governo não pode dar para alguém aquilo que não tira de outro alguém.


Quando metade da população entende a idéia de que não precisa trabalhar,
pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende
que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade,
assim chegamos ao começo do fim de uma nação.

É impossível multiplicar riqueza dividindo-a."


(Adrian Ogers, escrito em 1931)

Fw: Photoshop

 
 

Subject: FW: Photoshop